domingo, 29 de março de 2015

Descorchados 2015

O Descorchados 2015 é um evento muito aclamado e certamente muito importante para a América do Sul não só pelo o que representa no que tange a "descoberta" de grandes produtores e rótulos, mas também pela projeção que os vinhos da "banda de cá" ganham para as "banda de lá", ou seja, no mercado da América do Norte, Europa e porque não Asiático? Patricio Tapia não ganha 100 pontos apenas por ser bom no que faz, - sua premissa básica: descobrir, pontuar e descrever bons vinhos- mas por ser uma autoridade no segmento "acessível". Tive a oportunidade de conhece-lo pessoalmente há alguns anos em uma edição da Expovinis, e posso dizer que ele é de fato uma grande pessoa. No Descorchados 2015, aqui em São Paulo, realizado na Praça São Lourenço, podíamos ve-lo entre os convidados, completamente despojado de rótulos. E é isso o que eu mais gosto de ver neste meio, pessoas que gostam de pessoas assim como quem gosta de vinhos.

Neste último evento também me "despi" do meu inseparável, até então, bloquinho de anotações, quis estar mais a vontade, permitir-me desfrutar do momento, ter olhos clínicos e sentidos mais desprovidos de análise x caneta a câmera fotográfica bastou - me para posteriormente descrever e reavivar as minhas memórias. Por fim, vi muitos rótulos e produtores já com bastante atividade no Brasil, mas me rendi a conhecer o novo, e posso dizer que a experiência foi muito boa. Cacique Maravilla é um produtor de vinhos orgânicos fantásticos, produz um vinho branco não filtrado com o corte das uvas Moscatel, Torontel e Corinto que me fez calar a boca quando o assunto é visual. A embalagem é muito simples, mas o vinho é diferente de tudo que já vi no mercado, tem proposta única. Deste mesmo produtor degustei dois tintos: o Pipeño 2013, um corte de 50%- 50% de Pais (uva autóctone do Chile) e Cabernet Sauvignon e o Pipeño 2014 -100% Pais. Fantásticos também.


Outros vinhos que fiquei admirada com a grandeza de sabores e de qualidade foram os vinhos Laberinto Cenizas Sauvignon Blanc e o Pinot Noir, do também simpático enólogo Rafael Tirado, servidos por ele mesmo o qual foi muito atencioso. O Sauvignon Blanc principalmente, de uma mineralidade digna de um Sauvignon lá das terrinhas do Loire, não é à toa que a safra que estava sendo degustada (2014) levou 96 Pontos no Guia Descorchados 2015.

Mais um vinho que merece palmas de ouro é o Mai 2010, da Kaiken. Frutas vermelhas e escuras muito intensas, muita estrutura e aguenta ai mais uns 10 a 15 anos de "vida". Fiquei feliz em ver a Viña Maquis neste evento. Na Expovinis de 2014 tive o prazer de conhece-los e fiquei encantada com os seus vinhos. Mais contente ainda em saber que conseguiram um importador no Brasil. Lien é o seu grande destaque. Escrevi sobre ele na matéria que publiquei ano passado sobre o evento.
Leiam em http://vinhosamoresetaca.blogspot.com.br/2014/05/expovinis-2014-com-forca-na.html

O projeto Tara, do grupo da Viña Ventisquero também me encantou, mas como uma Cinderela às pressas, fui embora deixando muita coisa ainda para trás a degustar...


Até o próximo post!

Vanda Meneguci.