terça-feira, 5 de abril de 2016

Descorchados 2016 em São Paulo. Sobre um panorama geral

Em mais um ano, o Guia Descorchados nos abrilhantou com uma grande festa. E palmas para os vinhos sul americanos! É aquele tipo de evento que não se perde, que brinda a boa diversidade de produtores e estilos. Que nos põe antenados com o que há de melhor e mais novo no mercado, e em mais uma edição consecutiva, a premiação aqui em São Paulo, ocorreu no agradável restaurante Praça São Lourenço no dia 21 de março, e em mais um ano também consecutivo, estamos nós, os espumantes nacionais fazendo parte do Guia Descorchados. E assim falarei neste post sobre o Descorchados 2016 em São Paulo sobre um panorama geral. Importadores, compradores, distribuidores, sommeliers e enófilos, todos juntos ali, na expectativa em degustar os grandes vinhos do guia, o qual já está em sua 18ª edição, consolidando a importância em ser maior referencial de vinhos latinos americanos da atualidade.
Vamos então para os vinhos por mim degustados?



Iniciei a prova degustando os bons espumantes brasileiros, Lucia Canei (foto 1) do produtor Salton, que tem sofisticação já na garrafa. É um espumante rosé 100% Pinot Noir, com boa expressão de frutas vermelhas, notas florais  e amêndoas, além de notas de leveduras (pão). De ótima acidez e estrutura, mostra-se muito gastrômico. Vinificado pelo método tradicional, permanecendo 18 meses em contato com as borras. Também se mostrou um espumante de alta gama, o Valmarino Churchill (foto 2), elaborado pelo método tradicional, é um corte de Chardonnay com Pinot Noir. Evidencia notas de lima limão e pão, assim como também ótima acidez e estrutura. Saindo da mesa que estava servindo os espumantes nacionais, subi as escadas em direção ao salão de cima. Lá provei 3 rótulos da Barbarians Wine. Comecei com o Ruído Blanco 2015 Vinilo (foto 3), do Valle de Uco-Argentina. Um vinho muito diferente, de rótulo jovial e atrativo, ilustrado com o desenho de um disco em Vinil. Tem frescor em boca, notas limonadas e boa acidez. Provei em seguida o Tupun Bonarda (foto 4), da Bodega del Tupun, de Tupungato-Mendoza, é fresco, com notas de frutas escuras e especiarias, sem passagem em madeira. Um Bonarda com tipicidade e bem vinificado. Da Barbarians Wine ainda degustei o Super Uco Calcáreo granito (foto 5), um refrescante Malbec, com uma mineralidade muito evidente, dada ao solo de calcário da região, o que faz jus ao nome do próprio rótulo.
Sem precedentes mesmo foi o fantástico Tinto de Rulo (foto 6), a melhor surpresa para mim neste grande evento. Já me encantei logo de cara com o rótulo. Um vinho chileno do produtor de mesmo nome. Um corte da uva autóctone Pais com Malbec. Vinificado com leveduras nativas, com baixa adição de sulfito e isento de passagem em madeira, que também não recebeu filtração mais é brilhante, de linda cor! Na boca é pura fruta vermelha, de delicioso frescor e com uma expressão natural de gaseificação que me lembrou muito os vinhos vinificados sob o método de maceração carbônica. Merece foto destaque nesta publicação. Kalfu Kuda Sauvignon Blanc (foto 7) do Vale de Leyda - Chile, me impressionou com os aromas de frutas tropicais e de muita expressão mesmo no aroma vegetal. Delicioso! Magia Negra (foto 9)  me enfeitiçou. Depois do Tinto de Rulo certamente foi o vinho tinto mais surpreendente da noite. Um blend do Valle do Maule - Chile, de corte bordalês (Cabernet Sauvignon, Carménerè, Malbec e Cabernet Franc) de intensidade aromática exuberante de frutas silvestres escuras, pimenta e baunilha. Não é à toa que a safra 2011 recebeu 93 Pontos no Guia Descorchados! Do Produtor Leyendas de Família. Tive que provar o CASADONOSO Gran Reserva 2015 Sauvignon Blanc (foto 10). Quando já não achava que iria me surpreender mais, vem esse branco explodindo em frutas citricas, maçã verde e mineralidade, de ótima estrutura convida a uma boa salada para harmonizar. Finalizei conhecendo dois vinhos finos da Familia Zuccardi, o premiado Familia Zuccardi Finca Piedra Infinita 2013 (foto 11), o qual recebeu a pontuação mais alta no Guia Descorchados 2016 (98 Pontos). De muita estrutura e persitência, mostrou-se de grande guarda e o Zuccardi Malbec Concreto (foto 12) de vinhas oriundas do solo calcário de Altamira (Valle de Uco - Mendoza -Argentina) fermentado com os cachos inteiros e envelhecido em concreto. Um Malbec realmente muito especial. Finalizo com uma ode escrita por Miguel Martins de Menezes a qual dedico aqui ao Patricio Tapia, o grande jornalista, crítico e idealizador do Guia Descorchados:

" Onde nasce a vinha,
Se podem escrever poemas, 
O vinho nessas terras é adocicado,
Dizem que fermenta o mosto,
Enquanto seres pisam as uvas,
E até quando sentem um desgosto,
Cantam o amor das suas viúvas.
Agora os abraços correm,
Em círculos nos fungos dos dedos
Dão sabor ao vinho maduro.
Amor nasce na harmonia,
Feito da teimosia humana dos que pisam,
Fruta, pisam...fruta de sangue humano,
No final surge a embriagante bebida,
Ode para escritores,
E seus superiores amores!"

Até o próximo post!
Vanda Meneguci.