quarta-feira, 15 de maio de 2013

Vale do Loire - Vale dos Reis, das paixões, da história e dos vinhos !



O Vale do Loire é pura inspiração. Não é conhecido como o "Jardim da França" à toa. Uma região que inspira contos de fadas, devido a sua beleza, grandiosidade de seus castelos, e também pelos seus excelentes vinhos brancos, espumantes e até tintos leves.
Dizem que Charles Perraul, escritor e poeta francês de uma das mais clássicas histórias de contos de fadas, a Bela Adormecida, adaptada aos estúdios Disney , inspirou-se no Castelo de Ussè, o qual está situado ao sudoeste de Paris, na comuna de Rigny - Ussè.


E o que dizer dos castelos de Chambord e Cheanouceau e suas histórias de amor, paixão e disputas? Um rei, Francisco I, que construiu esses 2 exuberantes castelos inspirados na arquitetura renascentista francesa combinada a formas e estruturas medievais. Acrescenta -se aí estruturas italianas e Leornado da Vinci.















Sim, Leornardo da Vinci, pois era amigo do rei Francisco I e muito conhecido na corte e entre a nobreza francesa. Dizem que as imensas escadarias do castelo de Chambord é de arquitetura do próprio Leornado. Chenouceau foi também construído nos mesmos moldes, um presente que o rei dera a seu filho Henrique II, casado com  Catarina de Aragão, 

o qual dera de presente a sua amante Diane de Poitiers. Maravilhada com a beleza do local, Diane mandou construir imensos jardins e uma ponte arcada juntando o castelo à margem oposta do rio. Intriga, ciúmes e por fim, a retomada do Castelo de Chenouceau a Catarina de Aragão após a morte do seu esposo Henrique II.

O Vale do Loire é uma região que está situada ao lado norte da França e se estende até o centro, cortada por toda extensão pelo rio Loire recebendo influência marítima do Oceano Atlântico. Se pensarmos na viagem, na magnífica rota do vinho, a qual inicia -se a norte do rio Loire, do Oceano Atlântico até a região de Poully-sur-Loire, no centro do país, a mesma é cercada de uma ponta a  outra por  esses b elíssimos castelos,  dividida  assim em 4 regiões:  Pays Nantais, Anjou Saumur, Touraine e Loire Central; cada 
uma das regiões tem um estilo de vinhos próprios: Pays Nantais, é o lar dos vinhos da uva Muscadet; Anjou Saumur ideal para vinhos doces e as suas AOCs de grande fama  e tradição como  a  Coteaux de I Aubance e Coteaux do Layon;  Touraine  para os vinhos

tintos do Loire com suas denominações Chinon, Bourgueil e St - Nicolas -de- Bourgueil, as quais produzem vinhos tintos leves, produzidos com as castas Cabernet Franc, a qual é um corte na maioria dos vinhos do Loire e de caraterísticas muito diferentes, chamada também especificamente no Loire como Breton. Já o Loire Central é o berço da Sauvignon Blanc, produzindo vinhos de grande caráter e expressão únicas.

Falando em Sauvignon Blanc, essa uva produz no Loire um estilo muito especial de vinhos, o Pouilly - Fumé.
O nome Poully - Fumé origina-se da cidade chamada  Pully-sur-Loire, e "fumé" que  significa defumado ou defumação. Essa característica de defumado é própria desse estilo.
Geralmente os vinhos Poully - Fumé não passam por carvalho, justamente porque os produtores dão preferência aos aromas desta variedade, cujo o terroir local já fazem deles vinhos especiais, distintos e raros, sendo assim caracterizada como uma AOC (Appelation Poully - Fumé Contrólle).

Um dos melhores e mais renomados Châteaus da região, é o Châteu De Tracy. O solo argiloso e de pedra da colina de 
Tracy, dá um caráter poderoso e distinto aos vinhos produzidos com a sua uva rainha, a Sauvignon Blanc.
 
Imagina-se então conhecendo o Vale do Loire e toda essa grandiosidade de estilos de vinhos, belezas naturais em meio a Chateus de belezas incomparáveis. Um sonho digno de um contos de fadas, para sonhar bem acordado.

Até o próximo post!

Vanda Meneguci.